NASCIDOS PARA CORRER !!

Sejam bem vindos.
Espero que este Blog, possa trazer um bom conteúdo, se você chegou aqui é porque temos algo em comum: Amor a Corrida !
Giba Angelucci Junior
junior.angelucci@gmail.com

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Água em excesso pode fazer mal

Cuidados redobrados com a hidratação no dia da prova, beber um gole de água a cada 20 minutos, não ignorar nenhum posto durante a corrida. Essas são algumas das recomendações que os corredores estão cansados de ouvir. Mas será que água em excesso também não faz mal?

O artigo publicado no The New England Journal of Medicine afirma que cerca de 13% dos atletas que correram a Maratona de Boston podem ter apresentado hiponatremia por causa da hiperidratação. Em outro estudo, foram registrados quatro casos, enquanto em Houston o número de corredores com o problema foi 21.

A hiponatremia nada mais é que a diminuição de sódio no organismo. Quando a pessoa transpira, além de água, perde também uma quantidade de sódio que, se não for reposto adequadamente, pode causar enjôo, perda de consciência, confusão mental e edemas. Se o atleta se hiperidrata, o sódio do corpo se dilui e a concentração de água e sódio fica desequilibrada. “A hiponatremia atinge o sistema nervoso central e o atleta pode apresentar convulsões, ficar em coma e até chegar à morte”, explica Hélio Ventura, médico especializado em Medicina Esportiva pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

O dr. Ventura conta que as recomendações eram outras há 30 anos. Dizia-se que quando o atleta sentia sede durante uma prova era porque o seu corpo estava desidratado. Hoje, a preocupação com o excesso de água é tão grande quanto com a falta dela. “A hiponatremia é potencialmente mais perigosa que a hipernatremia”, acredita André Pedrinelli, médico especialista em Ortopedia, Traumatologia e Medicina do Esporte da Faculdade de Medicina da USP.

Para André Pedrinelli, o maior erro cometido pelos atletas é o exagero. Portanto, deve-se equilibrar a ingestão de sódio com a de água e dar preferência para os isotônicos, que já têm a concentração balanceada entre esses dois componentes. Outro equívoco que acontece muito é o corredor exagerar na cafeína e nas massas antes da prova. “É preciso ficar atento com a quantidade de sal ingerida durante o jantar de massas antes da corrida. É comum o atleta comer alimentos com pouco sal, e isso deve ser evitado”, alerta Ventura.

Como saber a quantidade certa?
É possível saber qual a quantidade correta de líquido que o corredor deve ingerir em determinado tempo de esforço. O ideal é fazer uma avaliação detalhada com acompanhamento médico, mas dá para saber aproximadamente o que o corpo gasta e não exagerar nos líquidos.

O conselho do dr. Ventura é que o atleta se pese antes e depois de um treino para saber quanto foi a perda de água, não esquecendo de subtrair a quantidade de líquido que ele ingeriu durante esse treino. Com esse peso em mãos, dá para saber aproximadamente quanto o seu corpo gastou e evitar um exagero na hora de se hidratar para uma prova. Vale lembrar que esse teste não substitui a avaliação física, que é mais aconselhada.

Outra forma de prevenir a hiponatremia é dosar a água e os alimentos que contenham sódio. Se o atleta não gostar de isotônicos, por exemplo, é importante ingerir alimentos que tenham teor razoável de sal para não desequilibrar o organismo.

Por Odara Gallo
By HAppy

Um comentário:

Jorge disse...

Giba boa tarde, ótimo post parabéns camarada, com certeza vai ajudar muito os corredores, pois isso já aconteceu comigo uma vez, vou explicar. Alguns anos atrás quando era inexperiente li uma matéria na revista contra relógio que o corredor teria que se hidratar bem e numa das maratonas aqui no Rio tava quente demais e em todos os postos de água que eu passava eu me hidratava bastante com água e com isso faltando uns 5Km quando eu iria atravessar um túnel vi que as minhas vistas ficando tudo escuro e senti que iria apagar, fui inteligente, parei imediatamente sentei no meio fio e comecei a dar alguns tapas no meu rosto para não apagar e não apaguei, pois os corredores que passavam alguns não entendiam nada e outros me perguntava se eu estava bem, pois eu explicava a eles o que tinha acontecido e depois de uns 5 minutos eu melhorei, caminhei alguns minutos e voltei a correr terminando a prova, depois eu entendi o que aconteceu comigo, graças a Deus não aconteceu nada comigo, se não tivesse dado alguns tapas na cara eu não sei o que teria acontecido comigo e de lá para cá lendo matérias como essa que eu entendi...

Bons treinos,

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.com